quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

360º- De um quiosque de jornais à vida de luxo, quem é Paula Brito e Costa, a mulher que se demitiu da Raríssimas e fez cair o 14º membro do Governo

946629b0-05e0-4d31-a47b-080e2c165728.jpg

360º

Por Filomena Martins, Diretora Adjunta
Bom dia!
Enquanto dormia... 
... o caso Raríssimas fez cair o 14º membro do Governo de António Costa e levou também à demissão da presidente da Associação. Comecemos por Manuel Delgado: o secretário de Estado da Saúde demitiu-se ao princípio da tarde por razões pessoais que inicialmente se supunha estarem ligadas a viagens pagas pela instituição de que foi consultor entre 2013 e 2014 (foi imediatamente substituído no cargo por Rosa Zorrinho e a sua demissão teve o apoio do próprio PS).

Mas só à noite se confirmou a dimensão dos motivos.Em entrevista à TVI, Delgado foi primeiro confrontado com mails comprometedores sobre a hipótese de um salário elevadíssimo em contraponto com o apoio político que podia dar à instituição, algo que ainda rebateu veementemente; depois com documentos sobre o número de viagens pagas pela Associação, em que acabou por se contradizer; e finalmente com o tipo de relação com Paula Brito e Costa que negou ser mais que profissional, mas que fotos mostradas na reportagem provaram o contrário.

Quanto a Paula Brito e Costa, cuja demissão foi conhecida minutos depois da de Manuel Delgado, também só se explicou ao final da noite. Em excertos de entrevistas avançados pelo Expresso e pela RTP, a agora ex-presidente da Raríssimas justificou-se falando primeiro numa "cabala muito bem feita" e depois evocando a sua "dignidade" e os "prejuízos" do caso para a instituição. Mas usou igualmente uma outra justificação demasiado pessoal: "Talvez seja agora a fase de fazer o luto do meu filho".

Foi por causa de Marco, o filho que nasceu com uma doença rara e entretanto morreu, que Paula Brito e Costa criou a Raríssimas. A obra meritória que era apoiada por várias figuras da vida política e económica modificou-a pessoalmente. Quem a conhece diz que além do nome, mudou também a personalidade: o perfil da mulher no centro da polémica que começou a trabalhar numa banca de jornais e casou com o instrutor de artes marciais que tinha sido motorista do pai é da Ana Cristina Marques e da Sónia Simões.

O caso chegou ao Parlamento Europeu, num debate acalorado entre os eurodeputados Nuno Melo e Ana Gomes (que devia ser sobre corrupção). E vai chegar também ao Parlamento português, já que os partidos querem respostas de Vieira da Silva e uma investigação alargada às denúncias já conhecidas. Até porque dos esclarecimentos do ministro ficaram muitas dúvidas e várias respostas por dar, como mostra o Miguel Santos Carrapatoso.

Se já se perdeu no meio da polémica, precisa de ler o Explicador da Marlene Carriço e do Pedro Raínho. Tem as explicações para as oito questões essenciais que permitem entender todo este imbróglio. Já a análise ao caso está neste vídeo do José Manuel Fernandes. E o resumo de tudo o que se passou nestes últimos dias encontra-o aqui. O JN adianta ainda que já há várias empresas a retirar apoios à Associação.

Outra informação importante 

Começo pelas notícias matinais, que o caso Raríssimas tem abafado, e sigo para o resumo da informação relevante. 

No Alabama, depois do escândalo sexual e apesar dos apoios de Trump (também sob pressão), os republicanos perderam as eleições para o Senado. Roy Moore, acusado de abusos a menores quando tinha cerca de 30 anos e começava a sua carreira como juiz, foi derrotado pelo democrata Doug Jones.

Ainda nos EUA, o secretário de Estado Rex Tillerson voltou a afirmar que há abertura para discutir com a Coreia do Norte "sem condições prévias". Quase ao mesmo tempo, Kim Jon-un dizia que quer transformar o seu país na "maior potência nuclear do mundo". (Isto enquanto os jornais oficiais lhe atribuíam mais um feito notável, "à Nené").

No ciclismo, há mais um caso de doping entre ciclistas de topo. Chris Froome, o britânico que venceu três Voltas a França (2013, 2015 e 2016), acusou positivo nos testes na Volta a Espanha deste ano (e pode perder o título conquistado).

Isabel dos Santos levantou 238 milhões de uma conta ligada ao BPI sete horas antes desta ser congeladaA guerra judicial é entre Brasil e Angola, envolve as operadoras telefónicas Oi e Unitel, e vem contada no Público.  

O Bloco de Esquerda conseguiu mais uma cedência do Governo já para 2019: os descontos dos recibos verdes para a Segurança Social vão baixar de 29,6% para os 21,4%. Mas os patrões terão mais encargos. A notícia está no Negócios, no Eco e no Público.

Na Autoeuropa o braço de ferro está para durar. Os trabalhadores rejeitam por completo a imposição unilateral dos novos horários. A empresa admite negociar, mas só depois de agosto. Até lá, paga os sábados a dobrar. 

Na campanha para a liderança do PSD também se mantém o bate-bocaSantana Lopes vai realizar uma convenção em janeiro, que terá a primeira parte já este domingo; Rui Rio diz que o seu adversário não sabe o que quer.

Não vem a propósito, mas não deixa de ser relevante (e revelador)o PS excluiu José Sócrates das comemorações do 10º aniversário do Tratado de Lisboa (o do famoso "Porreiro, pá"). Mas também quer impedir o acesso às escutas políticas da Operação Marquês, escreve o i (notícia completa só na dição impressa).

Na Faculdade de Direito de Lisboa há uma guerra entre estudantes e diretor que ontem levou ao fecho da escola e obrigou a intervenção policial. A Carolina Branco conta afinal o que é que lá se passa para tanta contestação, que até leva os alunos a apelar a Marcelo.
 
Ontem foram conhecidos os primeiros 10 arguidos dos fogos de Pedrógão Grande. Entre eles o comandante dos bombeiros e o segundo comandante do Centro Distrital de Operações de Socorro.

Foi também lida a sentença da seita Palmela que alugava crianças para abusos sexuais, com a condenação do seu líder a pena máxima

a Câmara de Lisboa decidiu encerrar mais uma discoteca, a Barrio Latino, por suspeitas de tráfico de droga.

No futebol não houve uma decisão judicial, mas um acordo que coloca automaticamente o Gil Vicente na I divisão em 2019/20, independentemente da classificaçãoÉ o desfecho, 12 anos depois, do "caso Mateus", Resta saber se descem três em vez de duas equipas ou se há alargamento da prova.

Os nossos especiais

O prémio Sakharov foi entregue esta manhã no Parlamento Europeu à oposição democrática da Venezuela e o Rui Pedro Antunes entrevistou um dos vencedores: Antonio Ledezma, um dos rostos da contestação a Maduro, que esteve detido durante dois anos até conseguir fugir. Retenha esta frase dura com ligações a Portugal: "As crianças venezuelanas não vão poder usar o computador 'Magalhães' no caixão".

A nossa opinião

  • Luís Aguiar-Conraria escreve sobre Francisco Assis e as críticas a Catarina Martins: "A tradição socialista é isto, não conseguir distinguir a ética da lei. São incontáveis os governantes que, depois de o terem sido, foram trabalhar para as grandes empresas do sector energético".
  • Maria João Marques escreve sobre a Raríssimas: "Perante tudo isto, qual a reação à esquerda? As do costume. João Galamba (palmas para a falta de originalidade) tentou colocar a culpa em cima do ministro da segurança social do governo anterior".

Notícias surpreendentes
É amanhã, é amanhã! A estreia de mais um filme da saga Star Wars está a deixar os fãs ansiosos. Mas já podem ler a crítica do Eurico de Barros. Ele foi ver "Os Últimos Jedi" e, ups!, diz que Luke Skywalker faz a diferença, mas isso não chega. Nada de mais spoilers, mas as estrelas são só duas.

Os ativistas da National Geographic choravam enquanto filmavam. O vídeo, já viral, é a de um urso moribundo por causa da fome que se tornou no último e brutal símbolo das consequências das alterações climáticas. Apesar de ter gerado controvérsia.
 
Controverso é também um estudo que admite que a orientação sexual pode mesmo ser biológicaForam descobertas duas variantes de genes que parecem ser mais comuns em homens homossexuais do que em heterossexuais. Mas sabe-se ainda pouco para se ter certezas.

Tenho que voltar às listas de Natal, afinal falta só pouco mais de uma semanaEstas são sugestões de presentes (quase) a brincar para mulheres adultas; e aqui estão ideias se o seu mais-que-tudo for um geek.

Ora diga lá se esta ideia não é boa. A 'malta' de Coimbra decidiu desafiar os mais famosos arquitetos portugueses a recriar a famosa cabana do amor que Le Corbusier construiu para a sua amada na Riviera francesaE não faltaram propostas.

Temos também muitas propostas para si no Observador. Clique e leia notícias, entrevistas, reportagens, sugestões e grandes histórias

Boa quarta-feira
Mais pessoas vão gostar da 360º. Partilhe:
no Facebook no Twitter por e-mail
Leia as últimas
em observador.pt
Leia as últimas
em observador.pt
Observador
©2017 Observador On Time, S.A.
Rua Luz Soriano, n. 67, Lisboa

“Foguito, Foguito”. O vídeo dos Bombeiros da Figueira da Foz que quer ajudar a angariar novos sócios

Os Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz (BVFF) produziram um vídeo musical, uma adaptação da música "Despacito", agora intitulado "Foguito, Foguito", destinado a celebrar a quadra natalícia e a angariar novos sócios, disse fonte da direção.
O vídeo, com cerca de cinco minutos, publicado na plataforma YouTube, começa com imagens aéreas da Figueira da Foz e foca-se num grupo de pessoas numa esplanada que, ao som da sirene, se levanta e corre, tendo como destino, a pé ou de automóvel, o quartel da corporação fundada em dezembro de 1882 e que celebra 135 anos na terça-feira.
A letra, da autoria de um grupo de bombeiros do corpo ativo dos BVFF e cantada por estes ao som do tema celebrizado por Luís Fonsi e Daddy Yankee, faz várias referências ao trabalho dos voluntários de cada vez que toca a sirene, argumentando que aquilo que fazem "mais ninguém o faz", durante "horas a fio" ou "dias seguidos", em ações de proteção às populações e combate aos incêndios.
A produção inclui imagens simuladas de uma chamada de emergência, imagens reais de fogos florestais (incluindo a atuação de meios aéreos) e planos dos meios humanos e materiais dos Voluntários da Figueira da Foz.
(veja o vídeo, abaixo)
Ouvido pela agência Lusa, Lídio Lopes, presidente dos BVFF, disse que a direção da associação humanitária e o comando da corporação "não quiseram deixar de incentivar, apoiar e divulgar a adaptação de uma música que esteve nos tops este ano, com uma letra em tudo relacionada com os bombeiros".
O responsável diretivo adiantou que o vídeo do tema "Foguito Foguito" pretende levar à angariação de novos sócios e que a produção "contribui para o espírito de corpo e para uma salutar convivência entre todos os bombeiros voluntários" da corporação da Figueira da Foz.
Lídio Lopes aludiu ainda à quadra natalícia, lembrando "na época em que se celebra o nascimento de Jesus" que os BVFF são a corporação "que mais partos realizou dentro das suas ambulâncias", num total de 23 registados.
Lusa

Contas dos Bombeiros Fiscalizadas

O novo presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), tenente-general Mourato Nunes, anunciou esta terça-feira, no Parlamento, um reforço das ações de auditoria e de fiscalização aos corpos e associações de bombeiros voluntários.
Em causa está o destino dado por algumas corporações aos fundos de apoio e a forma como são contabilizados, após polémicas como o número de refeições servidas durante o combate aos fogos.
Imagem ilustrativa

Trabalhadores a recibos verdes vão descontar menos para a Segurança Social

Governo e Bloco de Esquerda chegaram a acordo no início da semana.
Resultado de imagem para Trabalhadores a recibos verdes vão descontar menos para a Segurança Social
Mais de 250 mil trabalhadores a recibos verdes vão passar a descontar menos para a Segurança Social, de acordo com as alterações ao regime contributivo dos trabalhadores que Governo e Bloco de Esquerda acordaram no início desta semana.

Este acordo prevê uma diminuição de 29,6% para 21,4% da taxa contributiva, compensada por um aumento das contribuições das entidades empregadoras e dos trabalhadores com maiores rendimentos, segundo o jornal de Negócios, o Público e a rádio TSF
De acordo com a TSF, que cita uma fonte do Governo, o "novo regime entra em vigor de forma faseada ao longo do próximo ano. As empresas vão descontar as novas taxas já em Janeiro, enquanto os trabalhadores só as vão sentir, na prática, em 2019, altura em que vão declarar os rendimentos do último trimestre de 2018".
A mesma fonte do executivo explica à TSF que a "redução das taxas contributivas aplicáveis aos trabalhadores deverá abranger 250 mil a 270 mil pessoas".
"Até aqui, as empresas pagavam uma taxa de 5%, mas apenas nos casos em que os rendimentos dos trabalhadores dependiam em pelo menos 80% dessa entidade, e as restantes estavam isentas", segundo a rádio.
Com o novo regime, as empresas cujos trabalhadores a recibos verdes têm rendimentos que dela dependem até 50% continuam isentas e as que empregam pessoas cujos ganhos representam de 50 a 80% do rendimento passam a pagar uma taxa de 7% (no regime atual estão isentas).
As empresas que empregam pessoas cujos rendimentos dela dependem em mais de 80% passam a entregar contribuições de 10% (um aumento para o dobro face aos 5% do regime em vigor).
No entanto, os trabalhadores que acumulam trabalho por conta de outrem e trabalho independente vão pagar mais.
Deste grupo, os trabalhadores cujos recibos verdes acrescentam um rendimento mensal de pelo menos 2.407 euros (que estavam isentos), passam a pagar uma taxa de 21% sobre o excedente desses 2.407 euros.
Em declarações à TSF, o deputado do Bloco de Esquerda, José Soeiro, disse que a alteração é vantajosa para estes trabalhadores pois "vão estar também vinculados ao sistema, passando a fazer um desconto, o que para eles é positivo, porque estão com isso também a reforçar a sua reforma."
"O rendimento que conta para as contribuições dos trabalhadores também fica mais próximo do real: em vez de 70% do trabalho independente do ano anterior, passa a contar 70% do rendimento médio dos últimos três meses", adianta a TSF.
No acordo entre Governo e o Bloco de Esquerda há também melhorias nos subsídios de desemprego e de doença.
"A proteção no desemprego passa a aplicar-se a trabalhadores que acumulem duas condições que são modificadas: tem de existir descontos de 360 dias nos últimos dois anos (o regime atual obriga a 720 dias em 4 anos), e o trabalhador tem de ter tido um empregador que represente pelo menos metade do rendimento (este limite era de 80%)", refere a TSF.
No que diz respeito ao subsídio de doença, este vai passar a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.
Os trabalhadores a recibos verdes passam também a ter direito ao subsídio por assistência a filhos e netos, ao qual não tinham acesso.
Já os trabalhadores que têm dívidas à previdência e viam a suas prestações canceladas, vai continuar a recebe-las desde que assine um acordo para o pagamento em prestações.
Lusa

Salvador Sobral, o mais procurado no Google em Portugal

Resultado de imagem para Salvador Sobral, o mais procurado no Google em Portugal
Todos os anos a Google faz um apanhado das palavras mais procuradas no motor de busca da companhia. Em Portugal, "Salvador Sobral" foi, em 2017, o nome mais procurado pelos internautas.

A seleção da multinacional norte-americana é de alcance internacional, levando em conta as buscas realizadas em cada país nos últimos 12 meses.
À cabeça das buscas em Portugal surge o nome que colocou o país na história do Festival Eurovisão da Canção: Salvador Sobral, vencedor em Kiev, na Ucrânia.
Além de Salvador Sobral, ou da vista do Papa Francisco a Fátima, no centenário das denominadas aparições, o ano de 2017 fica também marcado pelos incêndios que devoraram milhares de hectares de floresta e ceifaram dezenas de vidas.
Foi também o ano das mortes de figuras como Mário Soares, Belmiro de Azevedo, António Pires de Lima, António Francisco dos Santos, João Ricardo, Pedro Rolo Duarte e Zé Pedro, entre outros nomes.
As dez buscas mas frequentes:
  • Salvador Sobral
  • Mobdro (App internet)
  • Taça das Confederações (Futebol)
  • Autárquicas 2017 (Política)
  • Pixwords (Jogo internet)
  • Love on Top (Programa TV – Entretenimento)
  • Fogos (País)
  • Pedrógão Grande (País)
  • Eurovision 2017 (Concurso musical TV - Entretenimento)
  • iPhone 8 (Tecnologia)
Já por tendências e face ao ano anterior, as escolhas divergem. Entre as figuras nacionais, a três principais buscas recaem em Salvador Sobral, Mário Soares e Luísa Sobral.
No campo das figuras internacionais, as três primeiras procuras são Chester Bennington, Chris Cornell e o Papa Francisco.
Nos eventos desportivos, os internautas procuram informação sobre a Taça das Confederações, o Tour de France e McGregor vs Mayweather.
Na área de entretenimento televisivo, as buscas incidiram sobre Love onTop, Desafio Final e Biggest Deal.
Por fim, os internautas procuraram também saber “o que é um Pangolim”, seguindo-se o equinócio de outono e a Chemex.
Houve também quem perguntasse ao Google “o que era o leite creme”.
O que é o "Ano em Pesquisa" da Google?
O Ano em Pesquisa da Google é um "olhar" anual à tabela de tendências no motor de busca.  Ao compilar o ano de 2016, analisou-se a agregação de milhares de milhões de pesquisas ao longo do ano.
Como se definem as tendências?

As pesquisas incidem sobre as tendências que tiveram o maior pico de tráfego durante 2017, em comparação com 2016.

Qual é a metodologia?
A Google utiliza informação de múltiplas fontes, incluindo a ferramenta pública Google Trends, bem como outras ferramentas internas de informação.
São também filtradas as pesquisas spam, de forma a criar as listas que melhor refletem o espírito do ano.
Fonte: RTP

Menos carapau, mais lagostins. Estão definidas as quotas de pesca na UE

Depois de 20 horas de negociações, os ministros das Pescas da União Europeia chegaram esta madrugada a acordo para os totais de capturas e quotas para 2018.
A captura de pescada em Portugal sofre um corte de 12% e a de carapau 24%. Em nenhuma das espécies a quota é atingida pelos pescadores portugueses.
No caso do biqueirão, a quota mantém-se. Aumentam os limites de pesca de raias (15%), lagostins (13%) e areeiros (19%), mantendo-se as quotas de julianas, solhas, linguados e tamboris.
A ministra do Mar mostra-se satisfeita com o "resultado bastante favorável" das negociações sobre as pescas para o próximo ano. Os valores agora definidos estão acima dos inicialmente propostos por Bruxelas.
"É evidente que todos nós gostaríamos de ter muito mais mas houve uma redução global dos totais admissíveis de capturas a nível europeu", destacou Ana Paulo Vitorino, em Bruxelas.
TSF

O que muda nos recibos verdes. Um caso Isabel dos Santos. E mais demissões

P
 
 
Enquanto Dormia
 
David Dinis, Director
 
Bom dia!
Aqui estão as últimas notícias: 

Trump teve uma derrota no Senado. O estado do Alabama deu a vitória a um democrata pela primeira vez desde 1992, derrotando Roy Moore, o candidato que o Presidente apoiou sem reservas (apesar de ser acusado de assédio a jovens raparigas). Mas o republicano não está com vontade de reconhecer a derrota.
A América ofereceu um diálogo "sem condições" à Coreia do Norte, numa reviravolta diplomática totalmente inesperada (como anota o El Pais)... 
...E também não vai aplicar sanções contra o Irão, com o Congresso a deixar expirar o prazo de 60 dias sem ligar nenhuma ao que disse o Presidente, revela aReuters.
A Amnistia ameaçou levar dirigentes da UE a tribunalpor abusos a refugiados que ficaram retidos na Líbia.
Depois de 20 horas, houve acordo sobre quotas de pescas. Portugal e Espanha vão ter que ser mais contidos, também na pescada e carapau, mas a ministra saiu de Bruxelas satisfeita.
O vencedor da "Vuelta" pode ficar sem o prémio. O ciclista Chris Froomeacusou positivo num controlo ao doping, por ter usado um broncodilatador proibido na prova. A notícia foi dada pelo El Pais.  
Já agora, é bom saber que Salvador Sobral "está bem" e a recuperar de acordo com o esperado. Tudo está bem quando acaba bem, não é assim?

O que marca o dia 

As mudanças nos recibos verdes, que estão na nossa manchete de hoje. O acordo entre Governo e o Bloco implica que os descontos baixem razoavelmente, mas só em 2019; que a protecção no desemprego e doença melhorem a meio de 2018 e que as empresas descontem mais. A Raquel Martins conta o essencial aqui - mas acrescentou-lhe um P&R para enquadrar os detalhes.
Uma transferência de Isabel dos Santos na 'hora H'. A empresária angolana tirou 230 milhões da sua conta no BPI horas antes de ver congelados os seus depósitos, por ordem de um tribunal das Ilhas Virgens britânicas. Aqui é a Ana Brito quem conta a notícia
As consequências do caso Raríssimas. A presidente da Associação demitiu-se, queixando-se da vida em geral e de uma cabala em particular. O secretário de Estado da Saúde também, depois de dar uma entrevista cheia de "esquecimentos", incluindo das viagens privadas que fez com a chefe da IPSS - e depois de sabermos que o seu Ministério financiou a Raríssimas com um milhão num só ano.
Esta é a quinta remodelação a reboque do Governo, contou a Leonete Botelho. Mas não livrou o ministro Vieira da Silva da pressão da direita e da esquerda. O Manuel Carvalho escreve hoje sobre o caso ("A raríssima coluna vertebral") - e eu também, no Editorial com este título: "Já vão 14".

As consequências judiciais de Pedrógão. O Ministério Público já constituiu dois arguidos, um da Protecção Civil e um dos bombeiros. Em causa estão crimes de homicídio por negligência e ofensas corporais. E haverá mais a caminho.
As mudanças que os incêndios provocaram. O novo líder da Protecção Civil prometeu aumentar fiscalização aos bombeiros voluntários e o aluguer de 50 meios aéreos para 2018.
A nova obsessão de Lisboa pela segurança. Depois de anos sem se fechar qualquer espaço, a Câmara mandou encerrar uma segunda discoteca, por "perturbação da tranquilidade pública" e tráfico de droga.
Uma decisão judicial pesada: o líder da falsa seita de Palmela que abusava de crianças foi condenado a uma pena de 23 anos. O juiz concluiu o caso assim: "Nem os animais eram capazes destas práticas". 
Um outro problema em Palmela: depois de a Autoeuropa ter informado que iria impor o trabalho ao sábado, a Comissão de Trabalhadores convocou um plenário e rejeitou "por completo" os novos horários. A administração, diz Negócios, só melhora a proposta se houver consenso - mas a proposta está longe das que já foram rejeitadas, como mostra ECO. Um doce a quem adivinhar como isto acaba.
Uma incógnita no Superior: o Governo comprometeu-se a reforçar as contas das universidades, mas não diz em quanto.
E uma quase certeza no Parlamento: se a geringonça funcionasse, os CTT voltariam a ser públicos. Mas é difícil, como explica a Sónia Sapage.

Leituras felizes 

1. O que disse Inácio quando o FC Porto ganhou a Taça Intercontinental? Foi precisamente há 30 anos, em Tóquio, com muita neve à mistura e um golo de Madjer que parecia não querer entrar. O Paulo Curado falou com Augusto Inácio, um dos titulares da equipa do FC Porto no jogo com o Peñarol, que lhe conta o que gritou quando viu a bola a caminho da baliza, muuuito lentamente. Em bom português, foi precisamente isto.
2. Alexandre tem um satélite com o seu nome. O Galileu, o sistema de navegação por satélite da Europa - que permite saber com precisão a localização de uma pessoa ou de um objecto na Terra - terá hoje mais quatro satélites em órbita. Um deles tem o nome de um jovem português, que aos 10 anos ganhou um prémiopor imaginar o espaço assim. Seis anos depois, vai vê-lo a subir ao céu.
3. De quantas horas precisa um algoritmo para ser o rei do xadrez? O xadrez, um jogo com cerca de 1500 anos, tem sido visto ao longo da História como um duelo de inteligências. Mas este é, também, um jogo em que os computadores são, há muito, melhores do que os humanos. O que leva, então, uma equipa de cientistas a regressar a um tabuleiro que os computadores dominam há duas décadas? O João Pedro Pereira explica.
4. Um palhaço é um poeta em acção. São poetas e poéticas, são cómicas e lacrimejantes, são críticas e ingénuas, são trapalhonas e acrobatas. São tudo ao mesmo tempo e, nesse mesmo tempo, a essência de tudo. No Dia dos Palhaços, em tempo de circo, a Maria João Lopes quis falar-nos dessa essência no feminino

Agenda do dia

A Provedora da Justiça vai fixar as indemnizações para as vítimas de Pedrógão,no dia em que os deputados decidem se chamam Xavier Viegas para falar sobre o capítulo escondido do relatório sobre a tragédia.
Lá por fora, o dia será marcado por uma subida das taxas de juro nos EUA, a última decisão da actual presidente da Fed. E por uma viagem de António Guterres ao Japão, para discutir as relações com a Coreia do Norte.
Hoje joga-se também a Taça de Portugal, com o Benfica a ter a missão mais difícil: a prova dos nove é em Vila do Conde, depois do jantar.
Porque estamos a 10 dias do Natal, e porque o Natal é das crianças, hoje deixo-lhe 30 sugestões de presentes para elas. E porque o dia ainda é uma criança, deixo-lhe linkonde nós vamos estar, para o manter a par das notícias que ainda estão por vir.
Até amanhã!